Sexta-feira, 27 de Agosto de 2010

O espelho (farmacêutico) do País

Seis farmácias de Lisboa apresentaram uma queixa ao Infarmed por concorrência desleal de outra farmácia que decidiu estar aberta 24 horas por dia. Este é o espelho do país. A legislação não é clara, mas, há um ponto de princípio prévio. As seis farmácias poderiam ter decidido fazer o mesmo, poderiam ter seguido outra estratégia para não perderem face à concorrência. Não, claro, é preferível não trabalhar tanto. É preferível trabalhar num mercado protegido administrativamente. As seis farmácias em causa são associadas da ANF. A farmácia que decidiu trabalhar para as necessidades dos consumidores - vale a pena registar o nome: Farmácia Uruguai, em Benfica - é da Associação de Farmácias de Portugal.

publicado por concorrenciaperfeita às 16:29
link do post | comentar | favorito
Sábado, 21 de Agosto de 2010

As obsessões de Nicolau Santos

Nicolau Santos tem duas obsessões, às quais dedica grande parte do seu tempo: a Ongoing e o Diário Económico. Não há semana em que o director-adjunto do Expresso não dedique a sua atenção à Ongoing ou a notícias do jornal do qual sou director. Regressou de férias, regressaram as suas obsessões. As opiniões, mesmo as mais disparatadas, são livres e, sobre essas, não perco tempo. Não Já não posso fazer o mesmo quando Nicolau Santos faz acusações maldosas e canalhas, mesmo, sobre as notícias publicadas no Económico. Em causa está uma notícia que o director-adjunto do Expresso entende que não deveria ter sido publicada, assinada por mim, que dá eco do desagrado de accionistas da PT sobre uma entrevista de Zeinal Bava à revista Veja. Em primeiro lugar, não lhe reconheço competências nem autoridade moral para me dizer o que deve e não deve ser notícia. Mesmo assim, como as acusações são graves, não podem passar em claro.

 

Respondo pelo Diário Económico. Não são as opiniões de Nicolau Santos nem de ninguém que limitarão as decisões legítimas da direcçção do Diário Económico de publicar noticias sobre a PT, sejam elas incómodas para quem quer que sejam. Ou Nicolau Santos entende que o Diário Económico só deveria publicar os press releases divulgados pela direcção de comunicação da PT? A notícia em causa tinha fontes, não identificadas, como tantas que o senhor director-adjunto do Expresso já escreveu. São menos notícia? Os comunicados dos accionistas de referência portugueses que se seguiram à notícia só atestam a sua veracidade, porque, caso contrário, não se teriam dado a tanto trabalho, em pleno Agosto e com o país a banhos. É verdade, os que estiveram na origem da notícia, e sabem-no, preferiram depois não levar esse desagrado até ao fim, assumindo publicamente o que assumiram em privado. Devo acrescentar, aos meus leitores, que ponderei revelar as fontes que estiveram na origem da notícia.

 

Uma última nota para (mais uma) canalhice: pergunta se o Diário Económico escreveria o que escreveu se o Etv estivesse na plataforma Meo? O Etv é um projecto único e inovador no mercado português, já recebeu nos seus estúdios Henrique Granadeiro e Zeinal Bava e continuará a recebe-los se se justificar editorialmente e se os próprios quiserem. E talvez não saiba, mas digo-lhe que o futuro do Diário Económico e do Etv não dependem das decisões de investimento comercial ou outras da PT e da sua gestão. E talvez não saiba, mas o Etv está na Zon e, a partir de Setembro, na Vodafone e no Optimus Clix, insuspeitos de serem amigos ou aliados da Ongoing, obviamente pela qualidade do projecto e da marca Económico.  O Etv não está no Meo porque a PT entende que não deve ter este canal na sua oferta televisiva, está obviamente no seu direito e não é essa opção que condiciona ou vai condicionar as notícias, positivas ou negativas, do Económico sobre a PT.

publicado por concorrenciaperfeita às 21:28
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito

mais sobre mim

pesquisar

 

Março 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
15

16

24
25
27
28
29

30
31


posts recentes

Salgado recupera a espera...

A política destrói valor

Porque é que Cravinho ass...

Em inglês não soa melhor

A palavra de Cavaco

Uma mão cheia de nada

Acordo para uma saída cre...

Carta aberta ao 71º subsc...

O plano P, de Parlamento

Um acto falhado

arquivos

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

blogs SAPO

subscrever feeds