Quarta-feira, 18 de Julho de 2012

O próximo ano é que vai ser o mais difícil

 

 

Os relatórios do FMI e da Comissão Europeia sobre o cumprimento do programa de ajustamento português são a melhor notícia das últimas semanas para o Governo e para Pedro Passos Coelho. Pela avaliação dos últimos três meses e pela forma como antecipa uma flexibilização dos objectivos para 2012. Mas, preparem-se, o próximo ano é que vai ser o mais difícil.

Em primeiro lugar, é preciso notar que os dois relatórios estão desactualizados e é preciso lê-los neste novo contexto, nomeadamente quando a execução orçamental deste ano já é reconhecidamente pior do que o que se sabia em Maio. E, em meados de Agosto, a 'troika' já estará novamente em Portugal, para uma nova avaliação, a decisiva.

Curiosamente, o FMI revelou uma sensibilidade inesperada e surpreendente tendo em conta que ficaram conhecidos, não só em Portugal como ainda nas últimas semanas em Espanha, como os 'homens de negro'. Se as análises do FMI e da Comissão Europeia não são assim tão diferentes na avaliação, a de Abebe Sellasie, o chefe de missão do Fundo, revela uma preocupação com a deterioração económica doméstica e internacional.

É neste quadro que o FMI assume, em público, o que o Governo vai dizendo, e desejando, em privado. Os objectivos do Governo para a redução do défice público em 2012 para 4,5% poderão ser flexibilizados e não virá, daí, mal ao mundo. O Governo tem, claro, uma dificuldade: o que não fizer em 2012 vai ter de fazer em 2013, sob pena de não cumprir o programa de ajustamento e, logo, não conseguir regressar aos mercados.

A avaliação sobre a execução do programa é globalmente positiva, as reformas já feitas são elogiadas e há reparos e puxões de orelhas, como a renegociação das rendas excessivas na área da energia. Mas os desafios serão maiores, e mais difíceis no próximo ano. Porque a redução do défice no próximo ano terá de ser da ordem dos 5,4 mil milhões de euros, isto é, a soma da redução de défice já prevista às consequências da decisão do Tribunal Constitucional (TC) . É brutal. E pode, claro, afundar a economia de vez.

Fica a consolação: o FMI os cortes orçamentais devem incidir na despesa e não na receita, particularmente na Administração Pública, na Saúde e nas empresas públicas.

 

PS 1: O DCIAP prestou ontem esclarecimentos sobre o processo de investigação levado a cabo nos últimos dias à Parpública, Caixa BI e BESI. Por um lado, as investigações resultaram de um outro processo, o conhecido Monte Branco, por outro, a investigação incide sobre alguns dos assessores financeiros do Estado nas operações de venda da EDP e REN e, finalmente, o resultado das privatizações não está em causa. Explica alguma coisa, mas não chega. Porque as suspeitas permanecem.

 

PS2: A Brisa desmentiu formalmente a acusação do administrador espanhol da Abertis de que teria sido impedido de votar em conselho de administração da concessionária o novo preço da OPA da família Mello e do fundo Arcus. Um voto que, sabe-se, teria sido negativo. Não faço processos de intenção nem julgamentos. Ontem, escrevi que esta notícia, a confirmar-se, não dignificava a administração da Brisa nem o próprio Vasco Mello, presidente da empresa. Não se confirma. Ainda bem, porque não vale tudo, nos negócios e na vida.

publicado por concorrenciaperfeita às 21:06
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim

pesquisar

 

Março 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
15

16

24
25
27
28
29

30
31


posts recentes

Salgado recupera a espera...

A política destrói valor

Porque é que Cravinho ass...

Em inglês não soa melhor

A palavra de Cavaco

Uma mão cheia de nada

Acordo para uma saída cre...

Carta aberta ao 71º subsc...

O plano P, de Parlamento

Um acto falhado

arquivos

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

blogs SAPO

subscrever feeds