Segunda-feira, 25 de Novembro de 2013

Passos Coelho deve escrever já ao Pai Natal

 

 

Afinal, não são apenas os banqueiros que vão ter um Natal difícil, como antecipava há dias Ricardo Salgado a propósito das inspecções do Banco de Portugal e dos testes de stress aos balanços dos bancos. Pedro Passos Coelho vai saber no Natal o que decidem os juízes do Tribunal Constitucional a propósito da convergência das pensões entre os sectores público e privado. E pode preparar-se para o pior, tendo em conta o que têm sido as decisões no Palácio Ratton.

Em primeiro lugar, Cavaco Silva fez bem em enviar, já, aquele diploma para o Constitucional. Apesar de não constar do Orçamento do Estado, o diploma da convergência das pensões tem um impacto significativo nas contas, são cerca de 388 milhões de euros líquidos de corte de despesa em 2014 e, nesta fase, com a negociação com a 'troika' e o programa cautelar à vista, não é possível ficar à espera do pior, no pior momento.

Ainda por cima, a convergência das pensões é uma daquelas mudanças estruturais. Porquê? Porque toca num ponto muitas vezes esquecido na discussão - às vezes demagogia - política em Portugal. Há direitos, de quem recebe uma pensão, claro, mas há também deveres, de quem suporta o pagamento dessa pensão, mas essas duas dimensões têm sido analisadas de forma, no mínimo, desequilibrada.

Neste caso, sobretudo. Ao contrário do que se vai dizendo, os mais atingidos por esta medida são os ditos 'privilegiados' do sistema, para usar uma linguagem com a mesma demagogia, são os que têm acesso à comunicação social, e poder de intervenção. Não são os outros, os quase dois milhões de pensionistas que, infelizmente, têm pensões abaixo dos 500 euros. Dito isto, vão colocar-se dois problemas na análise de constitucionalidade do diploma, o da proporcionalidade e o da confiança.

Uma análise às decisões anteriores dos juízes do TC antecipa o pior, isto é, a alternativas que serão piores do que esta, para todos. Se a questão da proporcionalidade passar, até por causa do perfil dos pensionistas em Portugal, já a da confiança dificilmente merecerá o 'sim' do Constitucional.

Se os juízes do TC invocaram o princípio da confiança quando se tratou da análise do regime de mobilidade e consequente despedimento na Função Pública, por causa de uma promessa em 2008, quando, entretanto, o País entrou em situação de pré-default, mais difícil será agora. Concedo, o maior princípio de confiança, o mais grave, o mais sagrado até, a última barreira, é a dos pensionistas que já o são, os que descontaram o que o Estado lhes pediu para fazer. Mas isto seria num País normal, a viver um regime económico e financeiro normal. O que não sucede em Portugal, nem sucederá tão cedo.

O melhor, mesmo, é Pedro Passos Coelho escrever já ao Pai Natal a pedir um presente apenas: a imaginação necessária para assegurar uma ou mais medidas que permitam compensar um chumbo do Constitucional que, tudo indica, valerá cerca de 380 milhões de euros. O plano B vai chegar pela chaminé de São Bento ou não haverá novo cheque da 'troika', menos ainda Programa Cautelar. Sobra o Plano R, de segundo resgate.

 

 

 

publicado por concorrenciaperfeita às 07:59
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim

pesquisar

 

Março 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
15

16

24
25
27
28
29

30
31


posts recentes

Salgado recupera a espera...

A política destrói valor

Porque é que Cravinho ass...

Em inglês não soa melhor

A palavra de Cavaco

Uma mão cheia de nada

Acordo para uma saída cre...

Carta aberta ao 71º subsc...

O plano P, de Parlamento

Um acto falhado

arquivos

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

blogs SAPO

subscrever feeds