Segunda-feira, 3 de Março de 2014

A terceira via

 

A 11ª avaliação da 'troika' ao programa de ajustamento português foi, outra vez, positivo, nada de novo, nem de especialmente surpreendente, num padrão de visitas que já permite perceber que são como as montanhas russas, isto é, a períodos de tensão seguem-se sempre visitas de pacificação. Foi o que sucedeu, para deixar para a última o que será o nosso programa cautelar.

A visita da 'troika',desta vez, foi rápida e incisiva, com boas notícias, e avisos para serem levados a sério, que permitem até perceber o que será, afinal, a terceira via de que todos começaram a falar. Portugal não está em condições de ter uma saída limpa, não tem o histórico, passado e recente, que suporte uma confiança dos mercados e dos governos europeus, mas ninguém quer levar aos parlamentos nacionais mais uma linha de crédito para um país do Sul. Afinal, o SPD no governo alemão não acrescentou nada, pois não, dr. António José Seguro?

A 'troika' reviu em alta o crescimento económico para 2014, para 1,2%, mais quatro décimas do que a anterior projecção, porque o consumo privado começou a dar sinais mais positivos no último trimestre de 2013, e porque o investimento dará sinais de vida, ainda assim a partir de uma base muito baixa, catastrófica mesmo. O desemprego vai descer, mas ainda assim acima dos 15%. Passos e Portas agradecem a ajuda para as europeias, mas sabem que o pior está para vir. Quando? Quando a 12ª avaliação começar, e a 'troika' exigir um Programa Cautelar apresentado pelo próprio Governo, sob a forma de Documento de Estratégia Orçamental. As instituições europeias, os técnicos, sabem que uma rede de segurança seria a melhor das soluções para Portugal, como teria sido, também, para a Irlanda, mas não têm a força para a impor a Alemanha. O que farão, então? Antes de fecharem o programa e de libertarem a última tranche da ajuda externa, isto é, antes das europeias, exigem que o Governo mostre o que vai fazer em 2015 e 2016. Não chegarão promessas de boas intenções, no final de Abril saberemos o que o Governo será forçado a fazer. É um programa cautelar sem acordo assinado com a Europa, mas servirá para mostrar aos mercados que, por aqui, continuará a haver o ajustamento, especialmente no Estado, que continuou em 2014 a ser feito sem estrutura, e com muito voluntarismo, à custa de funcionários públicos e pensionistas. Em 2015, a 'troika' exige, e bem, reformas estruturais no Estado, leia-se na Função Pública e nas pensões. Talvez valha a pena olhar outra vez para o guião de Paulo Portas, que vai passar à prática mais cedo do que se suponha, desde logo o seu próprio autor.

Passos, mais do que Portas, preferia o cautelar, também por isto. Sabe que o caminho está longe de estar feito e, além disso, à necessidade de vencer eleições, que está presente apesar do 'que se lixem as eleições', Passos sabe que não conseguirá controlar o partido e muito menos o parceiro de coligação se não houver controlo externo. Mas também já sabe, a partir desta 11ª avaliação, que vai ter uma saída limpa. Os irlandeses inventaram, na 25ª hora, a vitória sobre a 'troika' e a saída limpa. Agora, Passos vai ter de desenhar uma narrativa para explicar como é que nos dão uma saída limpa e, ao mesmo tempo, mais austeridade.

 

publicado por concorrenciaperfeita às 08:00
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim

pesquisar

 

Março 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
15

16

24
25
27
28
29

30
31


posts recentes

Salgado recupera a espera...

A política destrói valor

Porque é que Cravinho ass...

Em inglês não soa melhor

A palavra de Cavaco

Uma mão cheia de nada

Acordo para uma saída cre...

Carta aberta ao 71º subsc...

O plano P, de Parlamento

Um acto falhado

arquivos

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

blogs SAPO

subscrever feeds